Resenha do filme "Terra em Transe", de Glauber Rocha

Cena do filme Terra em Transe. Fotos: Reprodução / Google


Um filme escrito e produzido durante a ditadura militar e que integrou o Cinema Novo, sendo um dos mais conhecidos do movimento: Terra em Transe, de Glauber Rocha. A produção conta a história da política de um país fictício chamado Eldorado, sob a perspectiva do seu protagonista, Paulo Martins, um Jornalista que está à beira da morte ao ser atingido por um tiro; suas alucinações ao perder a consciência constituem as cenas do longa-metragem.


Um filme riquíssimo, porém complexo, que explora uma dialética entre a metáfora e a realidade, como disse o próprio autor. "Depois da música, que aliena, vêm as balas, que nos sugerem a realidade. Não viu nem ouviu quem não quis", referiu-se Glauber Rocha aos sons de caráter "independente", que brincam com os encaixes entre áudio e visual.

Terra em Transe, definitivamente, explora uma maneira diferente e original de fazer cinema. Cumpre com eficácia a proposta do Cinema Novo no Brasil: mostrar a realidade vivida no país em um modelo essencialmente nacional.

Observando o contexto histórico político em que o filme foi produzido, fácil identificar: Eldorado é uma representação do Brasil no tempo em que enfrentou o golpe militar. Pasma a similaridade gritante entre a situação política daquela época e a atual, o que torna o filme contemporâneo. Faz pensar que a história se repete.

Segundo o artigo "Terra em Transe e a Política no Seu Contexto Histórico", a principal crítica do filme é ao populismo. Difícil discordar. Populismo esse que levou ao golpe de 1964, assim como o personagem Felipe Vieira sofreu o golpe de Estado. Há pouco tempo vimos um golpe aplicado em 2016. Impossível não relacionar também a Globo a empresa Explint. O filme mostra a hipocrisia dos políticos e a corrupção que habita no meio deles. Mostra o povo como massa manipulável da mídia, como despolitizado. Há inclusive uma cena em que o povo é calado em um gesto simbólico. Mas o povo clama pela realização de pedidos, pedidos que não foram de fato ouvidos.


Terra em Transe tem uma fotografia bonita e um roteiro que explicita toda uma nuvem de confusão política brasileira presente no "ontem" e no "hoje". Não é um filme explicativo, de linguagem acessível, clara, mas expositivo e reflexivo, demanda certo capital cultural do apreciador. Terra em Transe é marcado por seu teor crítico, inovação e singularidade, o que o denomina arte.

Glauber Rocha nasceu em Vitória da Conquista, Bahia, no dia 14 de março de 1939 e faleceu no Rio de Janeiro, no dia 22 de agosto de 1981. Foi um cineasta brasileiro que fez sucesso com, além de Terra em Transe, Deus e o Diabo na Terra do SolSeu primeiro longa-metragem, ”Barravento" (1961), foi premiado na Checoslováquia. Depois de abandonar a faculdade de Direito para ser crítico cinematográfico, foi na produção dos documentários "O Pátio", em 1959 e "Cruz na Praça", em 1960 que estabeleceu seus primeiros, de fato, contatos com cinema. 

ASSISTIR ONLINE O FILME "TERRA EM TRANSE" COMPLETO ABAIXO:



------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Sobre o autor: Carlos Rodrigo é Escritor, Blogger, Acadêmico de Jornalismo e mais um apaixonado por Fotografia. Instagram | Twitter Blog

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.